Uma Breve História da Ciência (Patricia Fara)

Fara, P. (2014). Uma Breve História da Ciência. São Paulo: Editora Fundamento. (Copyright de texto de Patricia Fara, 2009).

Tradução: Bresciani Edição de Textos e Digitação Ltda (Karin Hueck).


uma_breve_historia_da_ciencia Uma Breve História da Ciência (Patricia Fara)Esse livro conta, de um jeito diferente de outros do mesmo gênero, a História da Ciência. Em pouco mais de 400 páginas, a historiadora Patrícia Fara conta uma história, não cheia de heróis, gênios e descobertas fantásticas acontecendo quase ao acaso (como a da maçã que teria caído na cabeça de Newton ou a da banheira de Arquimedes), mas uma história social, antropológica e política da ciência.

A ciência moderna teve origem não só no conhecimento acadêmico, mas também no comércio, nas habilidades simples e na prática da magia” (p. 134). Por exemplo, “Os óticos até então [séc. XVI] se concentravam em óculos de leitura e telescópios náuticos, mas, em resposta à demanda dos experimentadores do século 17, foram ampliados, passando a incluir telescópios astronômicos e microscópios” (pp. 163-164).

Outro exemplo, “…os naturalistas não investigavam as plantas só por curiosidade científica, mas também para encontrar maneiras de transformá-las em remédios, alimento e abrigo” (p. 191).

Ela não chega a ser uma iconoclasta, mas derruba mitos. A história da ciência de Fara passa pela Babilônia, passa pelo eurocentrismo típico, mas passa também pela China e pelo Islã.

Desconstrói a posição do alquimista de um lado e a ciência de outro: “Talvez o maior mago de todos tenha sido Isaac Newton, o filósofo naturalista e alquimista religioso que usou a linguagem grega da Geometria, em vez de empregar as mais novas técnicas matemática. O livro Principia (…) olhava para o futuro sem perder as raízes do passado” (p. 116).

Isso não significa que magia e ciência, hoje, sejam a mesma coisa. O ponto é que, o conceito do que é ciência (e o que ela não é) mudou ao longo do tempo. Inclusive a palavra “cientista” não existia até o século 18. Sua posição relativista é marcante, afirmando que “…a classificação do fato científico depende do olhar e da época” (p.53).

O livro insere o desenvolvimento da ciência na história do desenvolvimento da economia. Fara diz que a peste negra que varreu a Europa, pelo idos de 1347, favoreceu o conhecimento! Como? Escreve Fara: “Ao matar cerca de um terço da população europeia em cinco anos seu efeito imediato foi fazer os estudiosos se concentrarem na morte e na salvação, deixando de lado a atualidade e quaisquer outros temas. […] Famílias ricas se tornaram ainda mais ricas ao receberem vultuosas heranças dos parentes mortos, enquanto trabalhadores sobreviventes ficaram em posição vantajosa para negociar salários. O comércio e as viagens se intensificaram, elevando a demanda por artigos de luxo, o que levou à criação de novos instrumentos, à elaboração de melhores mapas e a viagens exploratórias mais ambiciosas. PatriciaFara Uma Breve História da Ciência (Patricia Fara)A efervescência intelectual do Renascimento teve origens materiais” (p. 105).

Algumas considerações da autora nos fazem pensar muito, como, por exemplo, “…aproveitando a liberdade intelectual, maior na corte do que no sistema acadêmico, Kepler aproximou a Astronomia da realidade” (p.141). Não sei como é na corte, mas liberdade intelectual é pouco vista no ambiente acadêmico ainda hoje!

Para finalizar, mais uma citação instigante, para dizer o mínimo: “O Iluminismo é celebrado como a Grande Era da Classificação, quando a ciência procurou entender o mundo organizando-o em categorias distintas. Mas os classificadores tinham prioridades diferentes, e jamais conseguiram chegar a um acordo quanto ao sistema perfeito. Tal como em muitos outros aspectos do conhecimento científico, o consenso era alcançado por meio de negociações; a decisão não dependia apenas do argumento mais convincente, mas também de quem tinha voz mais poderosa” (p. 195).


SUMÁRIO

Introdução

Parte 1 – Origens
  • O número sete
  • Babilônia
  • Heróis
  • Cosmos
  • Vida
  • Matéria
  • Tecnologia
Parte 2 – Interações
  • Eurocentrismo
  • China
  • Islã
  • Conhecimento
  • Europa
  • Aristóteles
  • Alquimia
Parte 3 – Experimentos
  • Exploração
  • Magia
  • Astronomia
  • Corpos
  • Máquinas
  • Instrumentos
  • Gravidade
Parte 4 – Instituições
  • Sociedades
  • Sistemas
  • Carreiras
  • Indústrias
  • Revoluções
  • Racionalidade
  • Disciplinas
Parte 5 – Leis
  • Progresso
  • Globalização
  • Objetividade
  • Deus
  • Evolução
  • Poder
  • Tempo
Parte 6 – Invisíveis
  • Vida
  • Germes
  • Raios
  • Partículas
  • Genes
  • Substâncias químicas
  • Incertezas
Parte 7 – Decisões
  • Guerra
  • Hereditariedade
  • Cosmologia
  • Informação
  • Rivalidade
  • Meio ambiente
  • Futuro

Posfácio


patricia_fara Uma Breve História da Ciência (Patricia Fara)Nascida em 15 de abril de 1948, Patricia Fara é historiadora da ciência na Universidade de Cambridge (Departamento de História e Filosofia da Ciência). Ela é graduada na Universidade de Oxford e fez seu PhD na Universidade de Londres.